quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

O poder do vermelho e do cinza

Estou aqui analisando o resultado das entrevistas que fiz com os usuários do site da minha Universidade e fiquei impressionad com o impacto que o vermelho teve na memória deles. Abre o site da UFPR, veja as cores do layout e depois veja a discrepância com o resultado da pergunta:

Que cores você consegue lembrar que tem no site da federal? (múltipla escolha)



Eu sabia que vermelho é potente e que deve ser usado só em casos extremos porque atrai muito a atenção. Mas que ele é tão marcante assim eu não sabia! Pô, de vermelho na página da UFPR só tem num banner que pisca a cada 3 segundos. Tem mais alguns banners estáticos lá pra baixo, mas menos destacados. O laranja está praticamente na mesma proporção, mas não foi tão lembrado.


O mais engraçado é que quando perguntados o que existe na coluna central, ou respondiam que tinha banners irritantes ou simplesmente não se lembravam deles, confirmando a teoria da cegueira de banner. Ao invés de chamar a atenção, o banner acaba fazendo o contrário: esconde a informação que carrega. Dia desses escrevo um post só sobre isso.

Quem olhou com atenção o gráfico e a página da universidade deve estar se perguntando: "onde é que está o cinza que esse pessoal lembrou?" Tenho duas hipóteses ousadas: ou a cor do navegador (cinza por padrão no Windows 95/98) é invocada quando o usuário se lembra de uma página, ou então a cor cinza já foi tão usada em combinação com azul e branco que o usuário reconhece como padrão. O que vocês acham?

Fonte: Usabilidoido

Grupo Anaya

Agência com 9 anos de atuação nas mais diversas áreas da criação.